Notícias

17/6/2020 - Importadores buscam regimes especiais aduaneiros para adequar suas operações ao período da pandemia

Com a alta do dólar e menor demanda no mercado provocados pela pandemia do novo coronavírus, importadores buscam adaptar suas operações para enfrentar da melhor forma esse período. Essas empresas enxergam nos regimes aduaneiros especiais uma saída para equilibrar o seu fluxo de caixa. “São soluções que oferecem a flexibilidade necessária num momento tão desafiador”, afirma Rodrigo Rocha, gerente comercial nos Centros Logísticos da Wilson Sons. 

O executivo destaca que um dos regimes especiais mais procurados é o de Entreposto, em que os importadores conseguem fazer o desembaraço das cargas de forma fracionada. Dessa forma, a empresa posterga os custos de nacionalização dos produtos para quando houver novamente demanda. As mercadorias podem ficar armazenadas até dois anos sem pagar impostos. 

No terminal alfandegado do Centro Logístico da Wilson Sons em Santo André (SP), os segmentos com maior procura pelos regimes especiais aduaneiros são os de maquinário, manufaturados, life science (equipamentos médicos e farmacêuticos), eletroeletrônicos, químicos, life style (roupas e acessórios), bens de consumo e cosméticos.  

Entre os serviços oferecidos na unidade está o gerenciamento da remoção e devolução dos contêineres, que garante a não incidência de demurrage (indenização diária devida ao transportador, caso o importador permaneça com o contêiner por um período superior ao tempo acordado).  

“A Wilson Sons desenvolveu soluções específicas para atender a esse mercado. Hoje contamos com tecnologias e serviços que nos permitem oferecer a agilidade e a segurança que o setor necessita”, ressalta Rocha.   

Além do terminal alfandegado, o Centro Logístico Santo André conta com Centro de Distribuição, operações de transporte de remoção, transferência e distribuição. A unidade está próxima a importantes elos logísticos do estado, como o Porto de Santos e os aeroportos de Guarulhos e Viracopos.   

A Wilson Sons conta também com um Centro Logístico no Complexo Industrial Portuário de Suape (PE).  Com área total de 57 mil metros quadrados, a unidade possui Terminal Alfandegado e Centro de Distribuição. 


Fonte: Wilson Sons