Notícias

31/8/2018 - Tecon Salvador registra recordes de movimentação de contêineres

O Tecon Salvador, terminal de contêineres do Grupo Wilson Sons, atingiu no mês passado a marca de 20.316 contêineres (cntr) movimentados. O maior volume movimentado, até então, foi de 19.697 cntr, em outubro de 2017. Um dos fatores que contribuíram para o resultado foi o aumento das exportações em julho, impulsionadas pelas vendas de polímeros e celulose – alta de 14% se comparado ao mesmo período de 2017. Os principais destinos da carga são: China, Bélgica, Índia, EUA e México.

Em julho, o Tecon Salvador obteve também recorde de produtividade, com 107 contêineres movimentados por hora, durante operação com o navio E.R Berlin. A última marca registrada foi em janeiro deste ano, quando foram realizados 102 movimentos por hora. “Além da redução de custos, em função da redução do port stay (tempo de permanência no porto), esse desempenho possibilita o cumprimento dos prazos nos portos seguintes, garantindo a regularidade das escalas em Salvador”, ressalta Patrícia Iglesias.

A diretora comercial do Tecon Salvador, Patricia Iglesias, explica que o resultado também é consequência da implantação do Navis N4, um software de gestão líder no mercado mundial e utilizado nos maiores terminais das Américas, Ásia e Europa, aliado aos investimentos em treinamento de equipe e na compra de três RTGs (Rubber Tyre Gantry Crane – pontes rolantes sobre rodas utilizados na movimentação dos contêineres no pátio), que entraram em operação em 2017.

O Tecon Salvador é hoje um dos principais agentes de atração e retenção de investimentos para o estado da Bahia. Com uma área de 118 mil metros quadrados e capacidade para movimentar 435 mil TEU por ano, já investiu mais R$ 300 milhões desde sua inauguração, em 2000. O terminal conta com quatro mil metros de armazém alfandegado, 674 tomadas frigoríficas, 11 RTGs (sendo nove elétricos), e seis portêineres STS (Ship to Shore Super Post Panamax – responsáveis pela movimentação de contêineres entre o navio e o pátio).


Fonte: Bahia Econômica